Logo CIH

Banner Topo

WEB RÁDIO ÁGUA: ADAPTABILIDADE DO PROJETO À REALIDADE DOS ATORES

RESUMO


A Web Rádio Água é um projeto desenvolvido pelo Centro Internacional de Hidroinformática (CIH) e conta com a parceria da Assessoria de Energias Renováveis (ER.GB) da ITAIPU Binacional (IB), Fundação Parque Tecnológico Itaipu (FPTI) e Programa Hidrológico Internacional (PHI) da UNESCO. Por meio da mediação pedagógica e aprendizagem colaborativa, a Web Rádio Água trabalha em diferentes linguagens midiáticas, com ênfase em arquivos de áudio, reunindo esforços e interatividade para gerir conhecimento educativo e fomentar a sociedade civil para a construção de cidadania e promoção da sustentabilidade na América Latina e Caribe. Entre as tecnologias idealizadas e desenvolvidas pelo Centro Internacional de Hidroinformática – CIH, o Projeto Web Rádio Água (WRA), num conceito mais amplo de tecnologias sociais, abrange três vertentes principais: a primeira é a tecnologia em si: uma plataforma web interativa de comunicação, desenvolvida inteiramente com ferramentas livres, dedicada a troca de informações e experiências, por meio da disponibilização de conteúdos acerca da temática água, envolvendo tecnologia, energia e meio ambiente. A segunda vertente é relativa à metodologia, ou seja, além da metodologia de desenvolvimento tecnológico, de conteúdo e de relacionamentos, a equipe do projeto elaborou uma forma específica de replicação da WRA, que consiste em um pacote de ações necessárias para o desenvolvimento e implantação do projeto em outros locais com diferentes parceiros. Por fim, outro aspecto relativo às tecnologias sociais que o projeto aborda é a comunicação visando o bem comum, por meio de um modelo embasado na web 2.0, no qual os usuários têm um espaço para interagir, produzir e publicar seus próprios conteúdos, proporcionado o intercâmbio de conhecimento, a construção de cidadania e a promoção da sustentabilidade a partir da participação e colaboração da sociedade.


 1  INTRODUÇÃO


O Programa Piloto Rádio Água, iniciado pela ITAIPU Binacional1 em parceria com o Instituto Água Vida, foi implementado em março de 2007. Posteriormente, em agosto de 2008, a ITAIPU Binacional criou a Assessoria de Energias Renováveis (ER.GB) para estimular o emprego de energias renováveis visando o desenvolvimento sustentável.
Neste mesmo ano, em setembro de 2008, ocorreu o “Taller de Construccion de Capacidades para la Implementación de Rádio Água Internacional”, na cidade de Hernandarias (Paraguai), no qual representantes de países da América Latina e Caribe manifestaram interesse em implementar uma unidade da Rádio Água em cada país. Deste evento resultou o Protocolo da Radio Água Internacional já sob coordenação do Centro Internacional de Hidroinformática (CIH), com o apoio da Assessoria de Energias Renováveis (ER.GB) da ITAIPU Binacional (IB) e com a UNESCO, por meio do Programa Hidrológico Internacional (PHI).
O Centro Internacional de Hidroinformática (CIH), instituído pela ER.GB em parceria com o PHI da UNESCO e a Fundação Parque Tecnológico Itaipu (FPTI), dentre outras diretrizes tem, por função, assegurar a sua sustentabilidade e garantir a evolução do projeto Rádio Água, fornecendo estrutura para apoiar e integrar a equipe técnica, a gestão, a realização e a execução do projeto.
A fase inicial do projeto Rádio Água consistia na disseminação passiva de conteúdo informativo acerca do tema água. A iniciativa era desenvolvida por uma equipe de jornalistas e uma base alocada em um site de conteúdo, aberto à sociedade civil e às mídias. Seguindo os preceitos da transmissão de informações unidirecional, a Rádio Água atuava como emissora, tendo o site como meio e seus respectivos receptores eram aqueles que, por iniciativa própria, buscassem as informações publicadas.
No ano de 2010, houve uma reavaliação em relação às expectativas do CIH e o projeto Rádio Água foi reformulado com o intuito de atendê-las. Para tanto, houve o assessoramento de consultores da Radio Netherlands Training Centre (RNTC), um centro na área da comunicação social, desenvolvimento e educação, anexo à emissora internacional holandesa Radio Netherlands Worldwide (RNW), que desenvolve projetos e oferece cursos aos profissionais de mídia de países em desenvolvimento.
Não obstante, para transformar o modelo de transmissão de informações unidirecional, constituído anteriormente, para um portal de aprendizagem colaborativa e de intercâmbio de informações e conhecimento, foi necessário que os gestores da Rádio Água tivessem de redefinir o posicionamento do projeto, delimitar a amplitude dos relacionamentos que seriam estabelecidos e delineassem as ações estratégicas para o cumprimento do Protocolo da Radio Água Internacional
Mantendo, em parte, o escopo inicial, a nova equipe Rádio Água, sob a consultoria da RNTC, reconfigurou o projeto, voltando-se à promoção da interatividade, ao exercício ativo de sua função enquanto fonte de informações e conteúdos e, à integração de novos públicos à sua rede de relacionamentos. A Rádio Água passa a embasar-se como um portal interativo, integrando ferramentas proporcionadas pela tecnologia web 2.0, assumindo o nome de Web Rádio Água.
Por meio de coproduções e publicações em diferentes linguagens midiáticas, com ênfase em arquivos de áudio, a Web Rádio Água reúne esforços e interatividade para gerir conhecimento educativo e comunicar conteúdos científicos, técnicos e informativos, com o propósito de fomentar a sociedade civil para a construção de cidadania e promoção da sustentabilidade na região, América Latina e Caribe.


 2  PROBLEMÁTICA


Mediante a crescente discussão acerca dos efeitos da degradação ambiental sobre a disponibilidade de recursos hídricos – tanto no âmbito internacional quanto nacional – a busca pelo aperfeiçoamento do melhor uso da água deve ocorrer em razão da compreensão e do debate, não só na esfera das instituições públicas e iniciativa privada, mas também na da sociedade civil.
Segundo a Agência Nacional de Águas (ANA), o monitoramento e a avaliação da qualidade das águas superficiais e subterrâneas são fatores primordiais para a adequada gestão dos recursos hídricos, permitindo a caracterização e a análise de tendências em bacias hidrográficas, sendo essenciais para várias atividades de gestão, tais como: planejamento, outorga, cobrança e enquadramento dos cursos de água.
A esse respeito, faz-se primordial a discussão da temática água como recurso universal, envolvendo tecnologia, energia e meio ambiente, devendo abrir espaço à promoção do conhecimento e à construção colaborativa de conteúdos. Haja visto que o aprendizado somente ocorre por meio do debate, do questionamento e das trocas de vivências, o grande desafio é que esses espaços sejam efetivamente públicos.
As instituições públicas, iniciativa privada e a sociedade civil devem compreender os impactos referentes ao mau uso do recurso hídrico, assim como disseminar as boas práticas referentes à melhor gestão do mesmo.
Na esfera nacional, os agentes da sociedade devem fazer valer e respeitar os fundamentos da Lei nº 9.4338, de 8 de janeiro de 1997, os quais rezam: (i) a água é um bem de domínio público; (ii) a água é um recurso natural limitado, dotado de valor econômico; (iii) em situações de escassez, o uso prioritário dos recursos hídricos é o consumo humano e a dessedentação de animais; (iv) a gestão dos recursos hídricos deve sempre proporcionar o uso múltiplo das águas; (v) a bacia hidrográfica é a unidade territorial para implementação da Política Nacional de Recursos Hídricos e atuação do Sistema Nacional de Gerenciamento de Recursos Hídricos; (vi) a gestão dos recursos hídricos deve ser descentralizada e contar com a participação do Poder Público, dos usuários e das comunidades.
Somado a isso, na esfera internacional, além dos fundamentos das políticas públicas dos respectivos países, segundo dados da Fundação Oswaldo Cruz/FIOCRUZ, de toda água mundialmente disponível, 70% da cobertura terrestre, 97,5% é salgada e não pode ser utilizada diretamente na agricultura, indústria ou no consumo humano e animal. Apenas 2,5% correspondem à água doce, sendo 1,7% em forma de geleiras e calotas polares e, 0,75% nos lençóis freáticos ou subterrâneos. Ou seja, menos de 0,01% das águas são doces e superficiais.
Com o aumento da população mundial e a aglomeração em cidades, a água passa ser cada vez mais consumida. E, como não há viabilidade de vida social sem água, a criação de um espaço socialmente democrático, de debate, troca e de disseminação compreende parte estratégica no arcabouço de soluções voltadas à gestão hídrica.


A PLATAFORMA WRA


Mediante a problemática apresentada, o projeto Web Rádio Água assumiu como objetivo promover o processo de comunicação educativa e gestão do conhecimento acerca da temática água por meio da Plataforma WRA, a qual pode ser acessada gratuitamente por qualquer pessoa ou grupo que possua um computador e acesso à Internet. A Plataforma Web Rádio Água tem como função principal, abrir um espaço informativo e também de discussões e debates, por meio de postagens e downloads de conteúdos de áudio, vídeo, foto e texto, por qualquer usuário.
Tendo como base principal um site, a Plataforma WRA é compreendida por elementos de interação, dentre eles: (1) fóruns de discussão, onde podem ser levantados questionamentos sobre os temas de interesse do projeto e/ou correlatos, dando a oportunidade aos usuários debaterem sobre a temática; (2) rede de blogs, na qual todos os usuários da Plataforma WRA cadastrados podem criar os seus perfis. Nos blogs são permitidas postagens de textos próprios ou citações, fotos, vídeos, arquivos etc.; (3) conexão com as principais redes sociais como o Facebook, LinkedIn, Twitter, Orkut e YouTube; (4) além de uma wiki, ou seja, uma enciclopédia virtual em que os usuários, de forma colaborativa, podem criar artigos sobre assuntos que tenham propriedade para fazer reflexões.
Toda a Plataforma Web Rádio Água é caracterizada pela liberdade, tanto do conteúdo como do desenvolvimento tecnológico, cuja comunidade de desenvolvedores é fornecedora e receptora de módulos de códigos de aplicativos e sistemas. A Web Rádio Água foi desenvolvida com as ferramentas Joomla!, para a gestão de conteúdos, PHPBB para o Fórum e MediaWiki para a enciclopédia Wiki.
Os esforços e produções do projeto Web Rádio Água estão concentrados em sua Plataforma WRA, cujo conjunto de subprojetos reflete a imagem e a identidade do projeto enquanto portal, referência em informação e intercâmbio de conhecimento acerca da temática água, envolvendo tecnologia, energia e meio ambiente.
O site detém uma estrutura que associa os demais subprojetos (fórum, blog, redes sociais e wiki). Nele, os conteúdos estão segmentados por “técnicos e científicos” e “informativos”, possibilitando o download de conteúdos e/ou uso da tecnologia streaming (ouvir, ler e/ou ver no próprio ambiente do site). A segmentação dos conteúdos, embora mediados, refere-se ao maior ou menor grau de profundidade da temática tratada.
Os fóruns compõem uma ferramenta interativa da plataforma para promover debates, potencializando o compartilhamento de opiniões. Estrategicamente, os fóruns ampliam as redes de relacionamento, abrindo espaço para discussão, coprodução e geração de pautas e novos conteúdos. Já os blogs, além ampliarem as redes de relacionamento, têm como diferencial a possibilidade de cada internauta construir seu perfil, usufruindo a plataforma wra, podendo criar e publicar conteúdos de forma independente.
Enquanto meios de inter-relação e alta difusão de conteúdos, as redes sociais são importantes veículos para promover a interação com os públicos, principalmente com os membros da sociedade civil, Fundações, ONGs e outras instituições. Tendo isto em vista o crescimento das redes sociais na América Latina e a importância estratégica deste cenário, foram definidos o Facebook, o Orkut, o LinkedIn, o Twitter e o YouTube como ações integrantes da comunicação do projeto Web Rádio Água.
Por fim, dentre as ferramentas que compõem a Plataforma WRA, a wiki apresenta-se como uma enciclopédia digital acerca da temática água, permitindo aos usuários criar e editar documentos coletivamente gerando fontes de pesquisa e referencial bibliográfico.
Por meio da Plataforma WRA, o projeto Web Rádio Água busca fomentar um espaço onde o conhecimento se torna uma rede interligada pela troca de informações, oferecendo a possibilidade da construção da aprendizagem colaborativa entre os públicos participantes.


METODOLOGIA PLANEJADA E DESVIOS DO PROJETO


Tendo como premissas “um espaço onde o conhecimento se torna uma rede” e “construção da aprendizagem colaborativa”, para estimular a cidadania e a promoção da sustentabilidade, o projeto Web Rádio Água idealizou em seu Plano Estratégico e de Comunicação, uma metodologia de atuação fundamentada no mapeamento de públicos estratégicos e na capacitação direta da comunidade e formação de multiplicadores. Neste plano, as ações foram arquitetadas de forma linear; uma ação predecessora à outra, em uma ordem quase tão dura quanto uma condição sine qua non.
Os públicos da Web Rádio Água foram divididos em quatro classes: mídia; especialistas e áreas técnicas; educadores; sociedade civil. Esta divisão resultou em uma matriz de “importância versus influência”, a qual visava demonstrar, sob a ótica da Web Rádio Água: (i) qual é a importância de determinado público; (ii) qual o impacto direto deste público no projeto; e, (iii) qual é o poder de influência direta que este público exerce sobre projeto.
Por meio do mapa, pode-se identificar:a) Mídia: primeira instância de público estratégico, por sua capilaridade no compartilhamento dos conteúdos produzidos pela Web Rádio Água;b) Áreas Técnicas, Especialistas e Educadores: segunda instância de público estratégico, por sua capacidade de coproduzir conteúdos e gerar pautas; c) Sociedade Civil: terceira instância estratégica, pois, embora seja o alvo das ações desenvolvidas, seu poder de influência junto aos processos pela Web Rádio Água é baixo.
No que se referia à produção de “forma e conteúdo”, primeiramente haveria uma definição de pauta, seguindo uma série de questionamentos, dentre eles: (i) a pauta e a fonte fornecedora de conteúdo estão adequadas aos objetivos da Web Rádio Água? (ii) a temática proposta possui capacidade de gerar conteúdo? (iii) a pauta requer maior ou menor grau de complexidade em sua abordagem? (iv) qual nível de clareza exigido para se trabalhar tal temática? (vi) a pauta possui potencial para ilustração com exemplos e analogias próximas do cotidiano do público-alvo e exemplos de boas práticas?
Passado pelo crivo da definição da pauta, novas questões teriam de ser respondidas: (i) quais são os controles dos equipamentos e recursos necessários para produção das temáticas pautadas? (ii) qual melhor forma de agendamento com as fontes – representantes das áreas técnicas e especialistas e/ou educadores? (iii) qual melhor forma de coprodução de conteúdo com as fontes pautadas?
Após o levantamento da viabilidade da pauta, os conteúdos deveriam ser mediados a fim de obedecerem certos parâmetros comunicacionais, especialmente em relação à forma e ao conteúdo. Diagnosticando os pontos a serem obedecidos no processo comunicativo, os conteúdos jornalísticos poderiam ser produzidos e construídos de forma mais rápida, eficaz, pertinente e em conformidade com os objetivos propostos pelo projeto.
No entanto, antes do levantamento destes parâmetros, uma macro-visão sobre comunicação tradicional, comunicação educativa e suas particularidades (linguagem, estilo, objetivos comunicacionais, entre outros) havia sido estabelecida, a fim de se conhecer as diferenças e especificidades na criação de um processo jornalístico.
Não bastasse o supracitado, também compunha o Plano Estratégico e de Comunicação, a consolidação de parcerias junto aos públicos estratégicos (áreas técnicas e especialistas, educadores e mídia) visando, de forma construtiva, inspirar o sentimento de pertencimento no processo de cumprimento da Missão da Web Rádio Água.
Esta operação se iniciaria pela construção de uma base sólida de contatos, acesso às informações desta rede de contatos, a contrapartida via capacitação e colaboração entre os atores envolvidos e, por fim, a propagação dos conteúdos gerados, por meio da replicação dos mesmos, quer de forma passiva ou ativa.
Toda essa metodologia de atuação e postura da Web Rádio Água tiveram como dado norteador, como já citado: (i) a mídia: primeira instância de público estratégico; (ii) as áreas técnicas, especialistas e os educadores como segunda instância; e, (iii) a sociedade civil como terceira instância estratégica.
O contrassenso entre o Plano do projeto e o exercício do mesmo, já no início do processo demonstrou à equipe da Web Rádio Água a inversão destas prioridades: a sociedade civil é o público de primeira instância, seguido pelos educadores, áreas técnicas e especialistas e, por fim, as mídias.
O processo de atuação de um projeto que se propõe como um espaço onde o conhecimento se torna uma rede e a construção da aprendizagem realiza-se de forma colaborativa, não pode assumir um posicionamento estanque, tampouco priorizar os veículos midiáticos, mas sim, os atores que os alimentam.
Sob esta ótica, a execução do projeto Web Rádio Água naturalmente seguiu (e vem seguindo) um percurso orgânico, não linear, mas sim, dinâmico. E, neste sentido, é possível traçar um paralelo entre a vivacidade que a Web Rádio Água e vem adquirindo e a definição de meio virtual de Levy (2001), denominado por ele como ciberespaço é "[...] germinante, ramificante, bifurcante, rizoma dinâmico que exprime um saber plural em construção, acolhendo a memória múltipla e multiplamente interpretada de um coletivo, permitindo navegações em sentidos transversais" (Levy, 2001, p.100).
Isso significa que a personalidade dos atores da Web Rádio Água (equipe e públicos) mostra-se como uma rede rizomática, onde cada nó desta rede remete ao um que forma o todo. Em outras palavras, a personalidade individual reflete a coletiva, a qual contribui na formação do comportamento do projeto, que, por sua vez, norteia e fundamenta a identidade dele.
Assim, mantendo, em parte, o escopo do Plano Estratégico e de Comunicação, a equipe da Web Rádio Água mudou a ótica de aplicação das estratégias traçadas, destacando a formação de uma rede de "comunicadores comunitários" aptos à (co)produzirem conteúdos, à publicarem na Plataforma WRA e à interagirem entre si, por meio da rede pela Web Rádio Água criada.
Nesta perspectiva, a forma de aproximação entre os atores potenciais e a Web Rádio Água vem se construindo via projetos, programas e instituições. Em função da complexidade de se estabelecer conexões, a Web Rádio Água buscou como alternativa: trabalhar com aqueles que já mantenham algum tipo de relação com a comunidade (sociedade civil), ou ainda, com os projetos, programas e instituições que tenham sido iniciativas da própria comunidade.
Partindo desta compreensão de prioridades, e quais, de fato eram os principais atores do processo, uma série de revisões foram realizadas ao longo projeto, desde o lançamento da Plataforma WRA, ocorrido em novembro de 2010. Dentre elas, podem se destacar: i) a metodologia de produção em forma e conteúdo; ii) a navegação e a postagem de conteúdos na plataforma web; iii) a metodologia de reaplicação do projeto em unidades estratégicas.

A citação da Peruzzo (2001, p. 121) resume a essência das revisões realizadas, pois "A participação na comunicação é um mecanismo facilitador da ampliação da cidadania, uma vez que possibilita à pessoa tornar-se sujeito de atividades de ação comunitária e dos meios de comunicação ali forjados, o que resulta num processo educativo, sem se estar nos bancos escolares. A pessoa inserida nesse processo tende a mudar o seu modo de ver o mundo e de relacionar-se com ele" (PERUZZO, 2001, p. 121).

A metodologia de produção em forma e conteúdo, a navegação e a postagem deles na plataforma web e, a reaplicação do projeto foram adaptados às necessidades – respeitando as particularidades técnicas – daqueles que de fato movimentam, dão vida, ao projeto.

O sistema orgânico ocupou o espaço da proposta estanque. As diretrizes planejadas foram adaptadas às realidades. Cabe ressaltar, que não se trata de um desnorteamento tampouco perca de controle, mas sim, adaptabilidade do projeto à realidade dos atores.

Entende-se por realidade, neste contexto, limitações de recursos econômico-financeiros, baixa afinidade da comunidade com o ambiente virtual, logística, dentre outros. O projeto Web Rádio Água propõe-se, em sua essência, como uma plataforma de conhecimento comunitário, integrador e participativo, portanto, o ciclo de aprendizagens, no decorrer do processo, é extremamente importante para a manutenção de sua essência. O comportamento resiliente do projeto é fruto de sua maturidade contínua e da gestão do conhecimento adquirido.

Os procedimentos estabelecidos no Plano Estratégico e de Comunicação foram criados com base nos conhecimentos técnicos de profissionais de comunicação, assim como, a Plataforma WRA, pela visão técnica de profissionais de desenvolvimento de sistemas. Entretanto, a proposta da Web Rádio Água, não é sustentar um espaço limitado ao conhecimento técnico, tampouco, formar Analista de Sistemas ou profissionais de

Comunicação, mas sim, consolidar uma rede de “comunicadores comunitários” heterogêneos, de diversas áreas e vivências, os quais, sob orientação, mas não sob pressão regrada, possam usufruir o espaço compartilhado para cocriar, conforme sua realidade e seu referencial permitirem.


RESULTADOS


Compreendidas as particularidades, as prioridades e os principais atores do processo, os subitens abaixo demonstram, resumidamente, os resultados do projeto Web Rádio Água. Além desses, novas parcerias vem sendo formatadas para atuação conjunta, em um futuro próximo, entre Web Rádio Água e outras universidades regionais, escolas de ensino fundamental e médio, Secretaria de Estado da Educação e Ministério do Meio Ambiente.


5.1  PARCERIA COM A ONG JEQUITIBÁ E ARCEOP


Nos períodos de 9 a 13 e de 16 a 20 de maio de 2011, foi realizado pela ONG Jequitibá18 e pela a Associação das Rádios Comunitárias do Oeste e Sudoeste do Paraná (ARCEOP), com a parceria da ITAIPU Binacional, do Centro Internacional de Hidroinformática e da Agência de Desenvolvimento Regional do Extremo Oeste do Paraná (ADEOP)19, o curso de radiojornalismo voltado especificamente para rádios comunitárias. A iniciativa da formação contou com o patrocínio da UNESCO no Brasil, Confederação Suíça, Cidade de Genebra, Município de Cartigny e Rádio Televisão Suíça (RTS).
Com duração de 40 horas e duas turmas de aproximadamente 20 pessoas, os grupos receberam uma capacitação, ministrada pela ONG Jequitibá, envolvendo elementos técnicos de base para a realização de entrevistas, boletins de informação, debates e reportagens.
A parceria com a Web Rádio Água, possibilitou aos formados que estando aptos à produzirem conteúdos após a capacitação, possam não somente buscar informações na plataforma WRA, mas também, publicá-las e interagir com os outros membros nela atuantes.
Esta ação conjunta entre Web Rádio Água e ONG Jequitibá foi expandida para além das rádios comunitárias, participantes do curso em Foz do Iguaçu. Todas as rádios capacitadas pela ONG foram contatadas pela equipe da Web Rádio Água, para formarem uma rede via Plataforma WRA, em território nacional, totalizando aproximadamente 300 rádios.


5.2  PARCERIA COM O GRUPO DE ESCOTEIROS GUAIRACÁ


Fundado em Foz do Iguaçu, o Grupo de Escoteiros Guairacá, integrante da União dos Escoteiros do Brasil (UEB)20 fundada em 4 de novembro de 1924, conta com a participação de integrantes a partir de 9 anos de idade. O grupo desenvolve ações socioambientais em toda a cidade, que vão desde arrecadação de roupas e calçadas, para campanhas de inverno, até limpeza de riachos e parques que atravessam a cidade. A equipe da Web Rádio Água propôs aos Guairacás registrar, em formato de áudio, essas atividades realizadas em campo e submetê-las à Plataforma WRA.
O Grupo foi dividido em categorias e os escoteiros mais jovens (os lobinhos, crianças de 9 a 16 anos) produziram a primeira atividade da parceria: uma reportagem sobre o mutirão pela conservação do Parque Monjolo, em Foz do Iguaçu. Os escoteiros limparam o lago, plantaram mudas de árvores nativas nas áreas de preservação permanente, visitaram casas para distribuir folhetos sobre a importância da reciclagem do óleo vegetal, pós-consumo, e entregar embalagens de coleta.
Todas as atividades foram registradas em um gravador de mão e o resultado do trabalho submetido na plataforma WRA. Esta foi a primeira de uma série de ações planejadas para atuação conjunta entre Web Rádio Água e grupo Guairacás.


5.3  PARCERIA COM A FACULDADE ANGLO AMERICANO (FAA)


Duas atividades extracurriculares dos alunos dos cursos de Ciências Biológicas e Gestão Ambiental da Faculdade Anglo Americano21, de Foz do Iguaçu, geraram os primeiros conteúdos em formato de áudio da parceria com a Web Rádio Água. O primeiro áudio é resultado de atividades especiais realizadas durante a VI Semana Acadêmica Integrada do Meio Ambiente (de 01 a 04 de junho/2011), quando três dos alunos do curso de Ciências Biológicas fizeram a cobertura completa do evento e entrevistas com palestrantes, professores e colegas de sala.
O segundo conteúdo foi gerado após um debate sobre o Novo Código Florestal Brasileiro realizado na Faculdade. Além disso, um fórum de discussão sobre o tema foi aberto na Plataforma WRA.
Os alunos foram apresentados ao projeto Web Rádio Água pelos educadores da instituição e orientados pela equipe da Web Rádio Água para uso e manuseio dos gravadores de áudio. Os resultados, geradas pelos próprios alunos da faculdade, estão disponíveis na Plataforma WRA.


5.4  OFICINA DE CAPACITAÇÃO NO INTERCOMSUL 2011


O IntercomSul22 – Congresso de Ciências da Comunicação da Região Sul – é a uma das etapas regionais do Congresso Nacional de Ciências da Comunicação, organizado pela Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação. Neste ano, o evento aconteceu na Universidade Estadual de Londrina (PR) entre os dias 26 e 28 de maio e recebeu estudantes, professores e pesquisadores de toda região sul.
A convite dos organizadores do IntercomSul, a Web Rádio Água ministrou, para um grupo de alunos de comunicação, a oficina de capacitação para uso e manuseio da Plataforma. Com aproximadamente sete horas de duração, foi a primeira vez que um grupo fora da região da Bacia Hidrográfica do Rio Paraná III participou desta oficina, na qual foram discutidas e realizadas noções teóricas e atividades práticas sobre jornalismo de desenvolvimento, comunicação comunitária, técnicas de criação de texto, gravação e edição de áudios, além de navegação e publicação de conteúdos na Plataforma WRA.


5.5  II MOSTRA DE TURISMO SUSTENTÁVEL


A Web Rádio Água foi convidada para participar da II Mostra de Turismo Sustentável, evento que aconteceu entre os dias 16 e 18 de junho, em Foz do Iguaçu/PR, e que faz parte do Festival de Turismo das Cataratas23, realizado pelo Instituto para Desenvolvimento da Região Trinacional (Polo Iguassu)24 e Parque Tecnológico Itaipu.
A Mostra tem como objetivo desenvolver e fortalecer o turismo sustentável e de base comunitária, os quais são iniciativas e atividades protagonizadas pelas comunidades locais com foco na promoção e inserção de produtos e serviços no mercado. Com um estande que reproduzia um estúdio de rádio, foi possível coproduzir conteúdos com os participantes da Mostra, muitos deles artesãos, proprietários e produtores rurais, além de representantes de organizações públicas e privadas.


5.6  PARCERIA COM CULTIVANDO ÁGUA BOA (CAB)


Nesta parceria a Web Rádio Água atuará, a partir de agosto de 2011, nos 29 municípios que compõem a região da Bacia Hidrográfica do Rio Paraná III25, com o projeto Educação Ambiental, do Cultivando Água Boa (CAB), um programa socioambiental da ITAIPU Binacional que trabalha como uma rede de proteção dos recursos hidrográficos do oeste do Paraná.

A participação da Web Rádio Água compreende as atividades de capacitação para uso e manuseio da Plataforma WRA, as quais serão realizadas com os integrantes dos comitês gestores do CAB. Ao todo serão doze oficinas de capacitação, teóricas e práticas, com oito horas de duração cada. Além da distribuição de material de apoio, a Web Rádio Água contribuirá com o projeto Educação Ambiental na disseminação da temática e no processo de mudança comportamental da sociedade civil.


5.7  PARCERIA COM A AGÊNCIA NACIONAL DE ÁGUAS (ANA)


A parceria entre Agência Nacional de Águas (ANA) e a Web Rádio Água teve início em fevereiro de 2011, o qual culminou uma ação maior: um convênio com duração de 36 meses, entre a ANA e a Fundação Parque Tecnológico Itaipu. Dentre uma série de ações, este convênio contemplará, a partir de agosto de 2011, a capacitação semi-presencial de membros dos Conselhos Gestores de seis bacias hidrográficas em território nacional, para uso e manuseio da Plataforma WRA e, produção e submissão de conteúdos.
Diferentemente das ações e parcerias do projeto Web Rádio Água, a Agência Nacional de Águas terá Plataforma WRA customizada para ela mesma, a ANA. Nela, os gestores serão capazes, ao final da capacitação, de alimentá-la e repassar o conteúdo absorvido para formar novos multiplicadores – a proposta nesta parceria é a formação de comunicadores comunitários, atuantes em suas próprias bacias hidrográficas.


CONSIDERAÇÕES FINAIS


Retomando a problemática apresentada, o cumprimento integral das metas e objetivos traçados, somados à compreensão das particularidades, das prioridades e dos principais atores do processo, essência do posicionamento estratégico a ser obtido pelo projeto Web Rádio Água, somente poderá ser obtido se, e somente se, houver comprometimento de programas, projetos e instituições parceiras em prol da consolidação uma rede de “comunicadores comunitários”, de áreas distintas e de vivência plural.
Posicionando-se como uma frente de conteúdo aberta à construção colaborativa, na qual os atores possam usufruir o espaço compartilhado para cocriar, conforme sua respectiva realidade e seu referencial permitirem, nenhuma atividade do projeto Web Rádio Água poderá se concretizar de forma unilateral, senão de forma rizomática.
Neste âmbito, habilitar os líderes comunitários e gestores em suas respectivas unidades, considerando as particularidades regionais, a posição almejada pela Web Rádio Água volta-se à promoção do processo comunicativo e gestão do conhecimento no universo local, por meio do relacionamento aproximativo junto à sociedade civil, por meio do relacionamento participativo e coprodução de conteúdos junto aos especialistas, áreas técnicas e educadores e, por meio da consolidação dele com a mídia – priorizando a radiofônica comunitária, pública e, por fim, a privada.
Integrando-se as estruturas regionais, em uma Plataforma WRA única, como um grande portal, possibilitará aos atores envolvidos, que a efetiva construção de uma rede Web Rádio Água, de comunicadores comunitários, obtenha visibilidade e legitimidade na região, na América Latina e Caribe.
Obviamente todo este processo amplo e complexo requer visão integrada e compreensão dos campos de atuação. Por isso, o início das ações é localizado, segmentado por projetos e micro-regiões e, a medida em que o processo se consolida, naturalmente as áreas de atuação são expandidas, até que todo o território tenha sido coberto.
O papel da comunicação, neste processo, é fundamental, pois colabora na construção da cidadania por meio do trabalho de conscientização para ações coletivas. Além disso, contribui para o desenvolvimento da capacidade de uma visão sistêmica em diversas realidades e também para um aporte interdisciplinar para a geração de conhecimento.


Autores:

Carolina Perez Martinez | Jornalista
Fagner Bitencourtt de Oliveira | Analista de Sistemas
Robson Carvalho Turcato | Relações Públicas
Willbur Rogers de Souza | Jornalista


Originalmente publicado na edição 2011 do KM Brasil